Proposta: Escrever uma matéria jornalística sobre uma narrativa fictícia.

No último sábado, por volta da meia noite, cem adolescentes invadiram uma festa eletrônica (Rave) que estava sendo realizada no Autódromo de Brasília. Inconformados com a lotação da festa, forçaram os portões e geraram confusão, deixando cinco feridos.

O grupo de jovens foi barrado pelos seguranças na porta do evento. A festa já estava lotada e a entrada de mais ninguém seria permitida. Os adolescentes ficaram revoltados e usaram a força para entrar no local. Seguranças não conseguiram segurar a multidão. No tumulto, cinco jovens tiveram ferimentos leves e foram levados ao Hospital de Base.

Ana Paula da Silva, de 18 anos, foi uma das feridas. Reclama que pelo preço do ingresso a segurança de todos deveria ser garantida. Nega ter visto cem seguranças como afirma a organização da festa e diz que havia mais gente do que espaço.

Não há unanimidade quanto aos responsáveis pelo acontecimento. Júlio Castro, um dos organizadores da festa, culpa os jovens pela falta de compreensão e noção de perigo. De acordo com ele, a segurança do local estava sendo feita por mais de cem seguranças. Um deles, Raimundo Silva, comprova o que o organizador disse. Não soube dizer quantas pessoas entraram, mas confirma a lotação da festa.

A bilheteria afirma que até a meia noite 1.348 pessoas haviam entrado. Apesar do local da festa suportar apenas 1.500, a Polícia Militar acredita que houve uma superlotação de duas mil pessoas.