Proposta: Escrever uma matéria que mostra os dois lado dos ataques do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Fonte: MST
Fonte: MST

  

Sete estados brasileiros e o Distrito Federal sofreram invasão de um Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Invadiram propriedades públicas e privadas causando danos de milhões de reais. De acordo com Rosangela Cordeiro, coordenadora do Movimento, a rebelião possui o intuito de reivindicar direitos do MST, entre os quais está uma melhor renda para os trabalhadores.

Grande parte dos investimentos governamentais voltados para a agricultura vai para os agronegócios. Aquelas grandes empresas têm o seu mercado focado para o comércio exterior. Simples trabalhadores rurais acabam ficando em segundo plano. Contudo, o MST não é uma entidade reconhecida legalmente. Ele recusa-se a ter um caráter jurídico e por isso não pode ser responsabilizado coletivamente pelos seus crimes nem receber verbas do governo. Este também não acelera a sua legalização, pois assim poderá ser culpado posteriormente de patrocinar diretamente os tumultos, em vez de colaborar com ONGs como vem fazendo até agora.

Os repasses do governo diminuíram 90% nos últimos anos por não serem usados conforme as ONGs e o MST diziam. Por exemplo, escolas foram criadas especialmente para os sem terra, mas não seguiam a grade curricular exigida pelo Ministério da Educação e estimulavam crianças a invadirem propriedades. Estas invasões, além de mostrar suas revoltas com a suposta negligência de seus direitos, evidencia o grave problema ao qual o Brasil sofre. O que é absurdamente irônico levando-se em conta a extensão territorial do Brasil. Como afirma o famoso clichê: “Tanta terra nas mãos de poucos”. O governo continua usando a reforma agrária como elemento de sua base política e talvez seja por isso que nunca sai do papel.  

De qualquer forma, apesar do sistema brasileiro ser democrático e permitir a livre expressão o MST conseguiu mudar sua ideologia e transformar o movimento em um grupo especialista em invadir e destruir o território alheio e até cometer assassinatos em massa. Desse jeito, a medida em que mostram a sua insatisfação com atitudes radicais, eles vão perdendo apoio político. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que um dia discursou com um boné do MST ao lado de seus representantes, hoje condena as barbaridades que vão sendo cometidas.

Anúncios